Estacionamento da Esplanada

OUTRAS OPÇÕES PARA A ESPLANADA

Retornando ao tema do Complexo Sub Esplanada, alguns detalhes que estão vindo à tona chamam a atenção de quem está acompanhando o assunto.

Pesquisando sobre o tema nos deparamos com um documento intitulado “Solução para o trânsito da Esplanada dos Ministérios“, de julho de 2010, elaborado por grupo de trabalho composto por representantes do MPOG, Ministério da Saúde, Ministério da Defesa e AGU, dentro da iniciativa denominada Forum SPOA.

Trata-se de um documento bastante fundamentado, originado de um seminário do IPEA, e que traz 5 propostas para melhoria das condições do trânsito na Esplanada dos Ministérios:

1ª Proposta – Estacionamento em local fora da Esplanada dos Ministérios (estádio Mané Garrincha ou outra área);

2ª Proposta -Transporte Funcional (serviço  de  fretamento  ou  transporte  coletivo privado);

3ª Proposta – Flexibilização do horário do servidor público;

4ª Proposta – Horário de trabalho diferenciado por órgão;

5ª Proposta – Garagem subterrânea e estacionamento provisório nas margens do canteiro central da Esplanda dos Ministérios (projeto do escritório Oscar Niemeyer).

É curioso perceber que as obras para garagens ficaram como quinta opção do grupo de trabalho, obviamente por haver outras soluções mais viáveis e menos dispendiosas para serem colocadas em prática. Também é importante notar que a opção por garagens se refere a um projeto bem mais modesto em dois subsolos, feito pelo escritório de Oscar Niemeyer.

Além das propostas apresentadas pelo Forum SPOA, também podem ser estudadas soluções mistas como transporte funcional até os grandes bolsões de estacionamento em torno do Estádio Nacional Mané Garrincha e Ginásio Nilson Nelson, além de soluções mais óbvias como revitalização e redesenho de todos os estacionamentos existentes, dos Ministérios e de seus Anexos, visando o aumento do número de vagas, além da liberação de garagens sub-utilizadas ao menos para pessoas com mobilidade reduzida (portadores de necessidades especiais, gestantes, idosos).

É importante destacar que começam a tomar corpo iniciativas de servidores da Esplanada dos Ministérios para que sejam criadas  ou resgatadas opções de transporte que sejam uma alternativa ao uso do transporte particular. Tais servidores tem se mostrado surpresos com a notícia de que em médio prazo terão que se submeter a  estacionamentos subterrâneos pagos ou então pagarão pesadas multas ao Detran. Os servidores da Esplanada querem as garagens do GDF?

E o que mais dizer do projeto Complexo Sub Esplanada? Aos poucos vamos descobrindo que se originou de um projeto iniciado por volta de 2006, com uma proposta bem mais singela de autoria do escritório de Oscar Niemeyer em dois subsolos para aproximadamente 6000 vagas. Nesse sentido, Carlos Magalhães, ex-sócio de Oscar Niemeyer, em entrevista ao Correio Braziliense criticou as saídas de pedestres do futuro estacionamento, que afetariam o tombamento da capital. “Em qualquer cidade com esse sistema, a pessoa sai do subsolo direto para a rua, sem necessidade dessas construções”, diz.

Ainda segundo ele chama a atenção a falta de consenso entre os diversos órgãos públicos para resolver o problema. “Ninguém está pensando no conjunto. Cada órgão quer resolver o próprio problema e ninguém quer discutir isso como um todo”, avalia. Filha do urbanista Lucio Costa, Maria Elisa Costa preferiu não comentar o projeto, mas defendeu o “silêncio verde” da Esplanada. “Em tese, a proposta é aceitável, desde que não interfira na cobertura, que deve ser toda gramada.”

Outro fator que chama a atenção é que essa proposta do Complexo Sub Esplanada divulgado em 31/1/2013 foi discutida a portas fechadas entre o GDF e o Congresso Nacional. Não há até o momento notícias sobre a participação do Executivo nas tratativas. Isso é surpreendente pois, em termos de número de usuários, esse poder será o mais atingido por uma eventual implantação dessa obra.

Diante de todos esses dados fica claro que o GDF nem sequer cogitou a adoção de outras soluções mais práticas e baratas, tampouco desenvolveu estudos consistentes para uma reformulação do transporte público da Esplanada dos Ministérios. Começam a surgir notícias de um eventual VLT para essa região, mas nos parece um tanto incoerente a propositura de um modal de transporte de massa sobreposto a uma solução de grande porte para estacionamento de veículos particulares. Talvez esteja faltando visão de planejamento e priorização no GDF.

Assim, a pergunta que fica cada vez mais evidente é: porque a opção pelos estacionamentos subterrâneos em um projeto dessa envergadura, com quase 6 vezes o tamanho da proposta original? Porque a primeira e única opção foi a mais dispendiosa?

Tirem suas conclusões.

Percebe-se o afloramento dos acessos de carros e pedestres interferindo no gramado da Esplanada.

Percebe-se o afloramento dos acessos de carros e pedestres interferindo no gramado da Esplanada.

ASSINE    PETIÇÃO PÚBLICA

ASSINE   AVAAZ

Os servidores da Esplanada dos Ministérios também dizem NÃO às Garagens!

Pela mobilidade no trânsito em Brasília, por uma cidade saudável, com sustentabilidade, acolhimento e inovação

 

(Essas petições não foram criadas pelo Urbanistas por Brasília mas apoiamos a iniciativa.
Consideramos que um transporte público de qualidade não precisa necessariamente depender da criação de novas linhas de ônibus e aquisição de mais veículos,
mas sim de repensar todo o sistema com idoneidade e seriedade)

10 pensamentos sobre “OUTRAS OPÇÕES PARA A ESPLANADA

  1. Conclusões? Que tal moneymoneymoney de superfaturamentos e propinas de obras nababescas para empreiteiros e para quem defende essa e outras loucuras, dentro do governo e da camarilha distrital?

  2. Só quem precisa ir a esplanada e tem problemas de mobilidade sabe o quanto esse projeto seria interessante. Brasilia fica presa à esse absurdo engessamento chamado “Tombamento” e o povo que vive na cidade sofre as consequencias dos caprichos dos “arquitetos gestores” do urbanismo do DF. O que tem a filha de Lucio Costa com isso ? A cidade não é dessas pessoas, para que seja eternamente condenada aos cvaprichos desses arquitetos do passado. Toda cidade evolui, só brasilia não pode! Daqui a pouco voces vão querer a votlta das carroças ( muito mais humanas e não poluenbtes) !

    • Prezado Ari, o projeto seria interessante se fosse a única opção. Todas as outras opções sequer são cogitadas, não há um estudo sério sobre o problema, ninguém se debruça em um Grupo de Trabalho ou instância similar para discussão. Mas uma obra faraônica sempre surge como a solução. Será que realmente é a solução? Quem frequenta a Esplanada aceitaria pagar preços de shopping ou simplesmente continuaria deixando o carro estacionado ao longo do meio-fio? O tombamento traz limitações a intervenções na cidade na medida em que exige que elas sejam feitas com responsabilidade e profunda discussão e consciência. Não se trata de uma defesa dogmática do “não pode”.

  3. Pingback: A gente não quer estacionamento subterrâneo na Esplanada | quadrado

  4. Realmente é um problema muito sério, não somente por tudo o que foi apresentado, mas pelo tipo de atitude que se pretende estimular: mais carros, mais vagas, pagar caro para ter algo que poderia ser diferente… Daí depois vai o governo e estimula o “dia sem carro”, fazem a “semana da mobilidade na câmara dos deputados”. Sinceramente, não podemos aceitar esse tipo de falácia. E penso que sim, existem pessoas conscientes a favor do projeto, mas somente pelo desespero de não enxergar outra opçao. E outra opção é possível e é urgente! Estamos juntos comstruindo uma cidade, que. Pensa que brasília já foi feita está enganado. A cidade está sendo construída a cada dia por nossas atitudes…

    • Olá Daniela, tudo bem? Estamos no mesmo raciocínio. O problema maior não é a obra em si – apesar de termos sérias dúvidas se o resultado final seria tão inocente e imperceptível como estão alardeando pois a estrutura de ventilação e acessos de pedestres e veículos teria que ser bastante significativa – mas o fato das soluções mais baratas, lógicas e responsáveis sequer terem sido cogitadas pelo GDF.

  5. Pingback: A gente não quer estacionamento subterrâneo na Esplanada | Brasília por Chico Sant'Anna

  6. Brasília precisa urgentemente se transporte público. Isso virou um chavão imperativo e óbvio, mas, como muitas coisas que são óbvias, também conveniente de não ser visto. Tudo seria diferente se todas as linhas de ônibus rodassem a cada 10 minutos (em horário de pico e 15 em horários de menos trânsito de pessoas), se houvesse integração entre todos os ônibus e o metrô (por que não, já que implantaram o maldito sistema Impossív…, digo, “Fácil” em todos os ônibus do DF??) ou se houvesse ao menos micro-ônibus circulares passando a todo momento (inclusive de madrugada) nas Regiões Administrativas que levassem a pontos estratégicos onde passassem mais linhas ou ao metrô. Qualquer pessoa que anda de ônibus (como eu) consegue enxergar essas soluções, só o (des)governo do GDF que (convenientemente) não vê…

    • Sol, é isso mesmo. As ações que precisam ser feitas no DF e no Plano Piloto são estruturais, para colocar ordem na casa, e não mega-projetos com investimentos vultosos e obras demoradas. É o óbvio que somente o poder público não tem enxergado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s